Coordenação Nacional em Defesa da Educação Pública e Gratuita divulga nota

mesa_fim02A Coordenação Nacional em Defesa da Educação Pública e Gratuita, que organiza os Encontros Nacionais de Educação (ENE), e da qual o ANDES-SN faz parte, se reuniu em São Paulo (SP) no dia 16 de fevereiro e divulgou uma nota sobre a situação dos ataques à educação pública. A Coordenação debateu as ações para a construção do III ENE, previsto para 2018.

Olgaíses Maués, 3ª vice-presidente do ANDES-SN, representou o Sindicato Nacional na reunião. Segundo a docente, o foco da reunião foi a organização do III ENE. “A conjuntura é muito diferente da do II ENE, em 2016. A gente precisa que o III ENE tenha impacto, repercussão, e termine com um documento robusto, que traga diretrizes e orientações de como proceder em relação a todas essas medidas que atacam a educação pública”, afirmou a docente.

A aprovação da contrarreforma do Ensino Médio (agora lei 13415/2017) foi bastante debatida na reunião. A nota classifica a lei como um ataque que “visa estabelecer uma formação precária e segmentada para os filhos e filhas da classe trabalhadora, e enfraquece a perspectiva de que a educação é um direito público universal que deve ser ofertada de forma gratuita e com qualidade devendo ser financiada exclusivamente pelo Estado”.

A Coordenação solicita às entidades de base a promoverem de forma unificada com os movimentos sindicais, populares e estudantis, as lutas em resistências em cada Estado, Município e no Distrito Federal, contra as imposições que virão por parte do MEC no sentido de implementar as diretrizes dessa Contrarreforma do Ensino Médio.

Na nota, a Coordenação aponta a necessidade de construção do dia 8 de março, como um dia nacional de luta contra o machismo, a misoginia e a reforma da previdência; bem como o dia 15 de março, como um dia nacional de luta com paralisações, atos, mobilizações em oposição à contrarreforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição 287/16).

Confira aqui a nota da Coordenação Nacional em Defesa da Educação Pública e Gratuita

Câmara realiza audiências sobre “Escola Sem Partido”

A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto de lei da Escola sem Partido (PL 7180/14) ouviu, no dia 14 de fevereiro, convidados favoráveis e contrários à proposta. O debate foi acirrado e marcado por manifestações de apoio a ambos os lados. Miguel Nagib, defensor do fim da liberdade de expressão em sala de aula, afirmou que os professores que defendem a capacidade crítica dos seus alunos para participarem de debates em sala de aula agem como os estupradores. Na terça (21), houve nova audiência pública na comissão especial. Ao final da reunião, estudantes representantes da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) foram empurradas e agredidas verbalmente por homens – defensores do programa Escola Sem Partido -, que acompanharam a audiência.

Imagem de Andrew Costa/Poxavila

Fonte: ANDES-SN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s